tmsr / programa / Capella Duriensis

Capella Duriensis

_06_nov_sáb / 21h00
_Igreja de São Roque

“In diae tribulationis"

Música em tempos de Peste. As relações históricas entre a pandemia de Covid-19 e a praga de Lisboa em 1570

Capella Duriensis

Jonathan Ayerst | Direção

Rita Venda | Soprano
Maria Guimarães | Soprano
Sara Amorim | Mezzo-Soprano
Joana Guimarães | Mezzo-Soprano
Bernardo Pinhal | Tenor
Nuno Raimundo | Tenor
Pedro Ferreira | Barítono
Igor Vale | Baixo
Nuno Mendes | Baixo

A solis ortus , Fugue à 5
Órgão solo
Nicolas de Grigny (1672-1703)

Missa pro Defunctis – Introit, Requiem aeternum
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Missa pro Defunctis – Kyrie eleison
Versos improvisados no órgão ‘em alternatim’ com o coro
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Missa pro Defunctis – Graduale, Requiem aeternam
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

In diae tribulationis
Damião de Gois (1502 – 1574)

O bone Jesu
Pero de Gamboa (1570 – 1620)

Missa pro Defunctis – Tract, Absolve Domine
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Missa pro Defunctis – Sequentia, Dies Irae
Versos improvisados no órgão ‘em alternatim’ com o coro
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Missa pro Defunctis – Offertorium, Domine Jesu Christe
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Ne laeteris inimica mea
Damião de Góis (1502 – 1574)

O crux ave
Pero de Gamboa (1570 – 1620)

Missa pro Defunctis – Sanctus
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Missa pro Defunctis – Agnus Dei
Versos improvisados no órgão ‘em alternatim’ com o coro
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Missa pro Defunctis – Communio, Lux aeterna
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Surge, propera, amica mea
Damião de Góis (1502 – 1574)

Surrexit Dominus
Pero de Gamboa (1570 – 1620)

Libera me
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

In paradisum
Anon |Canto Gregoriano (1000 – 1100)

Vater unser im Himmelreich BWV 682
Órgão solo
Johann Sebastian Bach (1685-1750)

Neste programa, exploramos as conexões históricas entre a pandemia de Covid-19 de 2020/21 e a praga de Lisboa em 1570.

O texto da “Missa pro Defunctis” gregoriana é, portanto, particularmente adequado para refletir sobre esses eventos e, por esse motivo essa música está no centro do programa. Intercalados com o canto gregoriano, apresentamos três motetos do famoso humanista Damião de Góis que sobreviveu à peste de Lisboa (a sua vida terminaria subitamente em circunstâncias desconhecidas, embora se suspeitasse de assassinato).

Os motetos “In diae tribulationis” e “Ne laeteris inimica mea” são momentos de reflexão, autoquestionamento e espírito penitencial, enquanto o terceiro, “Surge, propera, amica” sonha com um futuro em que essas dúvidas sejam resolvidas num momento de amor e segurança.

Em torno deste programa fundamentalmente coral, apresentamos comentários musicais dramáticos executados no órgão da Igreja de S. Roque. O concerto termina com obras românticas, baseadas em programas de Franz Liszt e do seu aluno Julius Reubke que exploram temas da ira, do julgamento e da reconciliação divinos. O organista britânico Jonathan Ayerst é um dos poucos organistas que improvisa em estilos históricos e irá improvisar secções alternadas da missa em canto gregoriano.